Mercado editorial fecha semestre em queda: “talvez menos pessoas lendo”

A edição mais recente do “Painel de Vendas de Livros no Brasil”, estudo mensal realizado pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) e pela Nielsen BookScan, mostra que as vendas de livros caíram 16,3% em volume e 6,94% em faturamento, em comparação com o mesmo período de 2015. Considerando a inflação acumulada nos últimos 12 meses, a diminuição real na receita é de 15,61%. “A queda em volume foi o que me chamou mais a atenção”, afirma Marcos da Veiga Pereira, presidente do Snel e um dos fundadores da editora Sextante, “porque você fala de menos livros lidos, e talvez menos pessoas lendo.” Quanto ao preço médio de capa, houve aumento de 9,49% —abaixo da inflação acumulada entre julho de 2015 e junho de 2016, de 12,21%. Se no fim do primeiro semestre de 2015 um livro custava R$ 39,31, hoje ele sai por R$ 43,04. A notícia é da Folha de SP.

No contexto de crise econômica, e com estes valores nababescos, não surpreende que as vendas de livros impressos caiam a cada dia que passa. Alguém se arriscaria apostar que as vendas de ebooks não crescerão tanto, ou até mais, do que no ano passado?